BRASIL, Mulher, Leh Gratão wants to tell you that...

 

    Facebook.


 

 
 

   


 
 
Warning! Her heart is on fire.



A morte do Donato me fez pensar o quanto tudo é rápido. É rápido pra quem tem 27 anos, como ele. É rápido pra quem tem 90 ou 112. Uma vida vai embora na velocidade de um sopro. Todas as nossas escolhas, nossas compras, nossas memórias, viagens, roupas preferidas, músicas e comidas que mais gostávamos... Tudo é só ilusão. Toda luta pra fazer dieta e entrar no corpo ideal, todas as noites que passamos estudando. As vezes que deixamos de viajar por que precisávamos trabalhar. Coisas que deixamos de comprar pra poupar pro futuro. Os nossos planos, os nomes que queríamos colocar nos nossos filhos. Planos de saúde, previdência particular. Deixamos de fazer um piercing pra não decepcionar os pais. Não comemos muita gordura pra não envelhecer o organismo. Dormimos na vontade, acordamos arrependidos. Pensamos em visitar amanhã, viajar amanhã, assistir amanhã. É tão volátil. Se fizemos bonito durante nossa breve estadia, morremos ser ter aproveitado direito. Se vivemos de acordo com o que bem entendemos, talvez a morte chegue meio tarde e a gente faça um papel ridículo. Não é errando que se aprende. Na verdade nunca realmente aprendemos. Nós só vamos de acordo com o que o caminho põe na nossa frente. Ninguém pode falar que sabe dar conselhos ou que é mais experiente. Me defina experiência. Um garoto de 27 anos morreu com um tiro na cabeça, deixou pra trás tudo que tinha construído com um trabalho que desenvolveu com tanto carinho e agora o que sobra disso tudo? Eu acho que nunca troquei uma palavra com ele, mas só de ser da minha cidade e namorar com meu colega de sala é como se tivéssemos crescido juntos. A morte dele me fez refletir demais e tá fritando minha mente, porque eu quero fazer tudo hoje e agora! Eu sempre falo que o meu único sonho é ver a neve. Eu não quero casar, eu não quero ter filho, eu não quero ser rica. Eu só quero ver a neve. Depois que isso acontecer, eu tô pronta pra morte. Mas e se por um acaso eu morrer hoje, que nem foi com o Donato? Por isso, estou tendo pressa! Pressa pra resolver logo minhas pendências. E se eu morrer daqui 78 anos eu vou ter sido ridícula por ter largado tudo pra ver a tal da neve hoje? Entende? É um paradoxo. Eu só sei que a dor que meu amigo Henrique está sentindo é algo que eu nunca quero experimentar. Isso de ver a vida escorrer, saber que seus momentos não vão voltar mais e que a pessoa que era sua vida inteira agora é uma memória... que dor! É horrível pensar que nada que você fizer vai trazê-la de volta. Nem todo dinheiro do mundo, nem toda tecnologia, nem se juntar as 7 bilhões de pessoas do universo pra ajudar na sua causa... Nada vai trazer sua pessoa pra perto de você. Que desgaste, que sofrimento. Por isso eu penso: juízo pra que? Acumular bens materiais e patrimônio pra que? Pra um dia você sumir do planeta e tudo ficar? Pra daqui 3 gerações ninguém mais se lembrar que você ao menos existiu e continuar usufruindo o que você lutou pra conseguir? Tanta renúncia durante a vida pra acabar todo mundo do mesmo jeito: morto e sem nada. Desculpe o desabafo, o desespero e a incoerência. Me dói fisicamente pensar que tudo é tão passageiro assim. A gente luta a vida toda pra ser importante e acaba sendo só a lembrança de alguém.


Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer

Devia ter arriscado mais e até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Queria ter aceitado as pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração


O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...


Devia ter complicado menos, trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos com problemas pequenos
Ter morrido de amor
Queria ter aceitado a vida como ela é

A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos, trabalhado menos
Ter visto o sol se por.

Leh.



Escrito por Leh! às 12h02
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]